sábado, 29 de junho de 2013

Mensagem do além.

Cheguei em casa e fui procurar um livro que raptei dos livros de filosofia do meu irmão para ler depois, este depois não chegava nunca e chegou hoje. 

Um desejo enorme de ler tomou conta de mim, procurei o livro no meio de um batalhão de livros de autoajuda- oh casa para ter livro de autoajuda- e nada, não encontrei o livro, mas achei uma caixa com todos os bilhetinhos, cartas, cartões que recebi durante a vida. Guardanapos com juras eternas de amor, amigos que já não sei onde estão, e o que mais me chamou atenção foram os escritos do meu pai. A começar pela letra do meu pai era linda e ele nunca terminava nenhum texto sem um "eu te amo", também tenho esta mania. A cada linha, em cada aniversário ele manifestava o quão prazeroso era ser meu pai. Sempre se superava nos cartões, nas dedicatórias e na sua demonstração contínua de amor. Ele partiu, mas não sem antes ter deixado um bilhete no meu para-brisas com escrito em letras garrafais "Eu te amo, filha". 

Relendo tudo isso, vaguei em cada rua do meu passado de mãos dadas com ele. Tantos momentos, tantas risadas, tantos mimos, tanto carinho, foi tão bom. Claro que isso para mim não foi nenhum sofrimento, foi um reconforto. Quantas pessoas gostariam de ter a vida que eu tive, o pai que eu tive, os amigos que eu tive e não tiveram? Quantas pessoas não tem um porto seguro para sentir reconforto, uma história bonita para se lembrar e o pior, uma história para contar. 

E eu que tenho minha alma toda remendada de dar e receber amor me distribuindo aos bocadinhos e conforme as necessidades. Aqui não tem dinheiro, mas tem ombro, colo, orelha e claro, meu abraço de urso. 

São tantos amigos, conhecidos ou não, tantas histórias, tantos universos a serem desvendados que ando até fazendo processo seletivo. Lembrando que o ingresso é universal e todos tem o direito a vaga de amigo. rs

Meu pai me relembrou que todos estes anos não seriam nada sem a presença de todos que passaram na minha vida. Minha ida ao passado foi para que eu jamais esquecer de dizer, sempre que eu puder, o quanto vocês são importantes para mim, cada um a seu modo, mas não menos importantes.

Não sou a amiga mais presente, nem a que está sempre ao seu encalço, mas estou estou sempre em contato com Deus intercedendo por você, do meu jeito, sem jeito talvez, mas com a cara de pau que vocês conhecem olhando nos olhos e falando sem parar, até Deus se cansar e trazer algum apaziguamento na vida de vocês. 

E hoje olho nos olhos dele, com os olhinhos marejados de amor e carinho e agradeço mais um dia de vida. Não quero viver muito não, Deusão, só o suficiente. O suficiente para oferecer o melhor de mim para as pessoas, pois o melhor delas eu recebo TODOS OS DIAS DA MINHA VIDA. 

Muito obrigada.



Michelle Fransan

Nenhum comentário: